segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Entrevista com Luciano Ramos

Neste semestre que passou, precisei fazer uma série de entrevistas com profissionais da área que eu planejo trabalhar depois da formatura. Entrevistei Brad Jones, do Cinema Snob, e Carlos Primati, do Cine Monstro. O entrevistado de hoje é Luciano Ramos, um dos melhores críticos de cinema aqui do Brasil.

moiConheci o Luciano através de seu livro Os Melhores Filmes Novos, da Editora Contexto. Depois de ler seu livro, fui atrás de mais informações a respeito dele e encontrei seu blog Cinema Falado.

“Crítico de cinema da Rádio USP, no programa Cinema Falado. Professor dos cursos de pós-graduação em Crítica de Cinema, Jornalismo Cultural e Roteiro cinematográfico da Fundação Armando Álvares Penteado, São Paulo. Exerceu a crítica de cinema na Rádio Cultura, no Jornal da Tarde e na Folha de São Paulo. Foi editor do Guia de Filmes e Vídeo, da Editora Nova Cultural, e das revistas História Viva e Educação. Âncora dos programas Última Sessão de Cinema, Imagem e Ação, Panorama e Cine Brasil, na TV Cultura de São Paulo. Dirigiu o Departamento de cinema da Rede Bandeirantes. Autor dos livros Aparecida Senhora dos Brasileiros e José de Anchieta, Poeta e Apóstolo. Um dos autores de Cultura & Elegância. Roteirista das mini-séries Avenida Paulista e Moinhos de Vento, bem como da novela Champanhe da Rede Globo”. (perfil do blog Cinema Falado)

O programa Cinema Falado vai ao ar de segunda a sexta-feira, às 12h20 e 18h20, e pode ser escutado pelo site da rádio USP.

O que/quem te motivou a trabalhar como crítico de cinema?

Isso foi em 1972! Nem lembro direito. Tinha um amigo que era o editor do Jornal da Tarde (no tempo em que era uma publicação de vanguarda) que me chamou: era o Maurício Kubrusly, hoje da Globo. Tinha acabado de entrar na Faculdade e fiz um teste. Passei.

O que foi mais difícil no início?

Fazer um texto minimamente atraente, nunca didático ou meramente opinativo.lucianoramos

Quem te ajudou e de que forma?

Xi... Não teve ajuda não. Mas ajudei muuuita gente, principalmente na TV Cultura e no Guia de Vídeo da Abril (que editei nos anos 80). Começaram ali: Rubens Ewald (Cultura), Sergio Rizzo, Marcos Petruccelli, Maneco Siqueira, Celso Sabadin, Paulo Gustavo Pereira, Christian Petterman, etc. No entanto, lembro que o Rubem Biáfora, que era o crítico do Estadão, me dava umas informações, tipo quem fez que filme. Ele era um IMDB ambulante.

O que conta mais: técnica ou criatividade?

Repertório. Traquejo. Cultura humanística.

O que está pensando para o futuro?

Concluir o doutorado na Unicamp, vender um monte de livro e encontrar um lugar legal para ensinar o que aprendi.

Quais são seus filmes favoritos?

Tá brincando?!? A quantidade de filme que assisti me obriga a ser eclético. Meu favorito é aquele que estou assistindo.

Qual conselho você dá para quem está começando a carreira?

Nem comece, mas já que começou, seja sempre fiel ao seu próprio gosto. No meu início tinha meia dúzia de 3 ou 4 críticos no mercado. Agora a categoria lota uma sala de cinema em dia de cabine com 3D, só em São Paulo.

3 comentários:

Pinu disse...

"Qual conselho você dá para quem está começando a carreira?

Nem comece (...)"

Ha, muita concorrência, heheheh

Juliano Moreira disse...

Ou era uma ameaça. "Não comece, se não te mato!"

Tomara que o Luciano venha pra cá em 2011. =)

Paloma disse...

Bah, ele podia vir mesmo! Estou louca para que o Jorge responda meu email :D

Que 2011 seja um ano cinematográfico \o/

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...