quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Os Vampiros que se Mordam

bigPhoto_0

Comédia boa, para mim, é aquela que te faz rir até quando está de mal humor. O que dizer, então, de um filme que não te faz rir nenhuma vez? Os Vampiros que se Mordam é a mais nova comédia pastelão de paródia que seguem o modelo de filmes como Top Gang (91), Top Secret (84) e Apertem os Cintos... O Piloto Sumiu (80).

lloyd_thumb[3]Apertem os Cintos: “Looks like I picked the wrong week to quit sniffing glue”

O filme é dirigido por Jason Friedberg e Aaron Seltzer, que também fizeram Espartalhões, Deu a Louca em Hollywood e Uma Comédia Nada Romântica. Eles também são roteiristas da série de filmes Todo Mundo em Pânico. Dos filmes atuais do gênero, os que mais chamam a atenção são o primeiro Todo Mundo em Pânico (de 2000, dirigido por Keenen Ivory Wayans) e Não é Mais um Besteirol Americano (de 2001, dirigido por Joel Gallen), que conseguem brincar muito bem com os clichês de filmes de terror e de adolescentes, respectivamente.

2001_Not_Another_Teen_148_thumb[8]Não é Mais um Besteirol Americano:
Jake: But, you're my sister.
Catherine: Only by blood.

Mas os filmes de Friedberg e Seltzer são uma afronta a minha inteligência! Sempre considerei Uma Comédia Nada Romântica uma aberração do mundo do cinema, um filme que faz paródia de piadas. É como ter que assistir alguém que não sabe contar piadas repetindo uma esquete do Saturday Night Live (se eu quisesse ver isso, me gravava e depois assistia).

Os Vampiros que se Mordam (no original Vampires Suck) brinca com a saga Crepúsculo e esse foi o motivo pelo qual assisti ao filme. Quando assisti Crepúsculo fiz mil piadas sobre a história e pensei que um filme que fizesse isso seria divertido. Não podia estar mais enganada. O filme é tão chato quanto o que ele imita e as piadas são idiotamente irritantes.

Eles ganham pontos por não fazerem piadas sexuais o tempo todo e os atores conseguem imitar muito bem os personagens dos livros. Bella, que aqui se chama Becca (Jenn Proske), se descreve como uma garota que gosta de ser humilhada, “do tipo que reclama o tempo todo, totalmente insegura e sem personalidade”.

filmes_1142_Vampires Suck 1_thumb[4]

Já Edward (Matt Lanter) é definido como “pálido, cabelo comprido e com prisão de ventre”. Quando Becca se dá conta de que ele é diferente, acredita que se vestir bem, ter a pele branca e não querer fazer sexo são sinais de que ele é um dos Jonas Brothers. E é isso... São as únicas coisas engraçadas de todo o filme. Juntas, não somam nem um minuto.

filmes_1142_Vampires Suck 2_thumb[4]

O pai de Becca (Diedrich Bader, de quem eu tenho absoluto pavor) é irritante e tem as piores piadas de todo o filme. Elas se baseiam, basicamente, em comentários inapropriados na frente da filha. Quantas vezes uma pessoa normal agüenta escutar a mesma piada sobre uma boneca inflável? Ok, nós já entendemos. Você faz sexo com uma boneca... Já tínhamos entendido na primeira vez que ela apareceu.

Os Vampiros que se Mordam não vai agradar os fãs de Crepúsculo, que provavelmente vão considerá-lo como uma afronta (eu consideraria), e também não irá agradar os que odeiam a saga, por ser tão sem graça e enfadonho quanto. Vampires Suck sucks a big time!

Vampires_Suck_1082553a_thumb[3]

Vampires Suck (2010)
Direção: Jason Friedberg, Aaron Seltzer
Roteiro: Jason Friedberg, Aaron Seltzer
Elenco: Jenn Proske, Matt Lanter, Diedrich Bader, Chris Riggi, Ken Jeong, Anneliese van der Pol, Mike Mayhall

8 comentários:

Juliano Moreira disse...

Por filmes como esse podemos considerar que comédias pastelão vão continuar pertencendo aos anos 80 mesmo.
Já são quase 20 anos sem comédias booooooooooas mesmo.

Todo mundo diz que esse é o gênero mais difícil de fazer. Mas parece mesmo que é difícil ao ponto do impossível!

Pinu disse...

Acho que o último que eu vi desse gênero foi aquele (que eu não lembro mais o nome, de tão bom, acho que foi o Hollywood), em que fazem paródias de Harry Potter e Nárnia. Devo ter rido umas duas vezes o filme inteiro.

O que eles parecem não entender é que essas piadas tem graça no máximo até a segunda vez, depois fica simplesmente estúpido. Ou talvez eles saibam disso, mas não se importam, porque sempre vai ter um monte de idiotas pra pagar ingresso.

Paloma disse...

Não acho que fazem 20 anos desde a última comédia. Não é Mais um Besteirol Americano é de 2001, por exemplo. E tem as comédias que não são pastelão, tipo Simplesmente Complicado ou Uma Noite Fora de Série, que são muito bons.

Agora... Em matéria de paródia... Parece que existem muitas piadas que seriam engraçadas em uma paródia de Crepúsculo e nenhuma foi usada. Mas para que usar uma piada engraçada e inteligente se a gente pode fazer o lobisomem ser um Chihuahua? *DONT_KNOW*

Talles "ursão" disse...

Paródia era com Leslie Nielsen, fim.

Clarice disse...

Você deveria aprender português corretamente primeiro, e só depois fazer críticas cinematográficas, uma dica.

Paloma disse...

Hein?

Paloma disse...

Sério... Cada um que me aparece... Daqui a pouco vão vir dizendo que eu não devo escrever críticas porque a girafa atravessou a rua.

Paloma disse...

Ah, e antes que eu me esqueça... Clarice, de Ouro Branco, IP 187.73.90.216... Por favor, da próxima vez que quiser criticar alguém só porque você tem mal gosto a ponto de ter gostado dessa merda de filme, mande um email. É muito fácil xingar e se esconder.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...