segunda-feira, 24 de maio de 2010

El Chavo del Ocho e El Chapulín Colorado

(Análise Crítica das Séries El Chavo del Ocho e El Chapulín Colorado)

Como Tudo Começou

Roberto Gómez Bolaños é o criador e principal intérprete dos programas mexicanos Chaves e Chapolin, entre outros. O programa teve seu início em 1968, depois que seu protagonista, Chavo, deu as caras em um curta-metragem durante outro programa da televisão mexicana. O programa se mostrou extremamente bem-sucedido entre crianças, mas mesmo assim Bolaños decidiu focar o programa para o público em geral, sem restrições.

O nome El Chavo del Ocho é uma referência à emissora de TV que o produzia, que utilizava o canal 8. A palavra "chavo", em espanhol, significa algo como "travesso". Apesar disso, no Brasil foi decidido adaptá-lo como "Chaves", por ser uma palavra sonora e parecida com a original.

Além de Chaves, Bolaños deu vida a outro personagem que alcançou fama mundial, o Chapolin Colorado. Seu nome significa, em português, "gafanhoto vermelho". Podemos perceber a semelhança ao animal pela roupa do herói. Ela possui antenas e uma pequena menção às asas, como um corte em formato de W nas costas de sua roupa. Além da cor vermelha, é claro.

El Chapulín Colorado foi transmitido pela primeira vez em 1970, na TV TIM (Televisión Independiente de México), como um quadro do programa Los Supergenios de la Mesa Cuadrada. A partir de 1972, a personagem ganhou um programa próprio, pela Televisa, que durou até 1979. Entre 1980 a 1993, a série fez parte do Programa Chespirito, que possuia vários quadros com os mais diversos personagens de Bolaños.

O nome Chesperito (algo como "pequeno Sheakspeare") é um apelido que Bolaños ganhou de um diretor de TV, por este o considerar um escritor tão brilhante quanto o dramaturgo inglês.

A História

El Chavo Del Ocho:

Os moradores de uma pequena vila mexicana tentam conviver uns com os outros, enquanto precisam enfrentar casos do dia-a-dia e suas próprias situações financeiras precárias. No meio de tudo isso está Chaves, um menino de rua que, com sua ingenuidade infantil, ensina aos adultos que existem coisas mais importantes do que dinheiro e status. O seriado possui várias referências a clássicos do humor, como os Irmãos Marx e o ator Peter Sellers.

El Chapulín Colorado:

Um super-herói querido e atrapalhado que ajuda pessoas em suas crises para lá de bizarras. Chapolin também reinventava contos famosos (como A Branca de Neve e os Sete Anões) e fatos históricos (como o descobrimento da América), ensinando e divertindo ao mesmo tempo.

Os Personagens

El Chavo Del Ocho:

Chaves (Roberto Gomez Bolaños): Um menino órfão de oito anos de idade que mora na rua e faz qualquer coisa por um sanduíche de presunto. Chaves ganha o amor do público (e dos outros personagens) com sua inocência. Ele está sempre aprendendo coisas novas e ensinando lições de moral, com muito bom humor. Bolaños já trabalhou como compositor, ator, diretor e roteirista. Ele continua trabalhando em sua terra natal.

El-Chavo-del-OchoRoberto-Gómez-Bolaños

Quico (Carlos Villagrán): O amigo mimado, egoísta e metido a rico de Chaves. Quico é filho de uma viúva falida, que sempre ganha tudo o que quer, pois sua mãe tem vergonha de sua pobreza. O ator Carlos Villagrán saiu do seriado em 1978, pois seu personagem estava ficando grandioso de mais e ele queria tentar uma carreira solo. Bolaños e ele ficaram vinte anos sem se falar. Hoje em dia, Villagrán apresenta o espetáculo El Circo del Kiko, que já esteve em cartaz no Brasil.

quico (1)_thumb[1]quico_thumb[3]

Seu Madruga (Ramón Valdés): Um viúvo desempregado, que não gosta de trabalhar e que está sempre devendo quatorze meses de aluguel. Don Ramón, como é chamado no original, é um dos personagens mais populares da série, talvez por ser um retrato tão fiel dos homens pobres do terceiro mundo. Valdés também saiu da série em 1978, mas retornou em 1981, pois não conseguia se desvencilhar da imagem do seu personagem mais famoso. O ator faleceu em 1988, de câncer de pulmão.

seumadrugaelreydelbarrio

Chiquinha (María Antonieta de las Nieves): Filha de Seu Madruga, representa uma criança animada que usa sua criatividade para superar seus problemas. Ela é bastante ativa nas histórias do programa e a personagem mais fiel nas aventuras do Chaves. Hoje em dia, a atriz atua em novelas mexicanas e fez uma pequena participação no seriado Skimo, da Nickelodeon.

chiquinha (1)_thumb[1]chiquinha_thumb[6]

Dona Florinda (Florinda Meza): Mãe de Quico, Dona Florinda é uma viúva que perdeu todo o seu dinheiro. Com vergonha de sua pobreza, ela vive chamando a todos de “gentalha” e finge ser superior. Vive brigando e humilhando o Seu Madruga. Florinda Meza também interpretava a sobrinha de sua personagem, a Pópis. É esposa de Bolaños e existem boatos de que ela foi a principal culpada da briga entre seu marido e Carlos Villagrán, já que os dois haviam namorado. Meza produz e atua em telenovelas e também é diretora de TV. Uma de suas produções mais recentes foi a novela Amor e Ódio, exibida no SBT em 2001.

Florinda (1)_thumb[1]florinda_thumb[3]

Seu Barriga (Edgar Vivar): Seu Barriga é a representação dos ricos na série. Este homem é o proprietário da vila onde mora a maioria dos personagens. Como ele vai pessoalmente cobrar o aluguel de seus inquilinos, Seu Barriga acaba sempre passando por situações embaraçosas. Estas situações são, em sua maioria, maneiras criativas de Seu Madruga fugir da cobrança do aluguel ou do Chaves dando-lhe alguma pancada, sem querer querendo. Edgar Vivar trabalhou nos filmes Bandidas e O Orfanato.

seubarriga_thumb[5]barriga_thumb[3]

Professor Girafales/Inocêncio Girafales (Rubén Aguirre): Conhecido pelas crianças como Professor Lingüíça, é o professor de uma escola próxima à vila na qual as crianças estudam. Ele e Dona Florinda alimentam uma relação amorosa quase platônica. Sua participação representa o homem culto, porém simples, que se envolve com os demais personagens pobres da história. Constantemente, na sala de aula, Professor Girafalez se encontra em alguma situação ética de persistir na tentativa de educar as crianças, pois acredita no desenvolvimento destas. Ganhou fama na Argentina com o espetáculo El Circo del Professor Jirafales. Aguirre sofreu um acidente de carro em 2008 e sua esposa perdeu uma das pernas. Por causa dos gastos médicos, o ator está falido.

girafales1_thumb[1]professor_thumb[3]

Dona Clotilde (Angelines Fernández): É uma personagem secundária, que possui poucas participações e é extremamente reativa. Mesmo assim sua fama superou o tempo, principalmente quando é referida como Bruxa do 71. Seu papel nas histórias se resume, basicamente, como alvo das brincadeiras das crianças da vila e em suas insistentes investidas de seduzir Seu Madruga. Sua personagem quase não revela histórico, fazendo seu mistério ser parte do carisma que acabou criando-se. Um fato curioso sobre Fernández é que ela era considerada uma das mulheres mais bonitas do México. Ela morreu em 1994, aos 71 anos, também de câncer de pulmão.

bruxa71 jovem_thumb[3]bruxa71 velha_thumb[3]

El Chapulín Colorado

Chapolin Colorado (Roberto Gomez Bolaños): Um super-herói latino criado ao oposto da imagem dos super-heróis "enlatados" americanos. Ele é fraco, feio, medroso, pobre, desajeitado, covarde, tonto, mulherengo, mas que no final sempre superava seus medos para assim vencer seus inimigos. Era o único personagem fixo da série.

el_chapulin_colorado_2950-600x841_thumb[4]

Metodologia de ensino

O programa poderia ser usado como metodologia em aulas de espanhol, já que é um seriado conhecido entre alunos de todas as idades. A familiaridade com o show traria uma facilidade maior de compreensão.

Os episódios escolhidos seriam aqueles que trazem algum tipo de ensinamento, com o mínimo de violência possível. Muitos episódios de Chaves possuem violência, mesmo que moderada e estas seriam evitadas em sala de aula. Episódios de Chapolin são mais fáceis de administrar, porque quase sempre trazem uma lição de moral e/ou contam alguma história real (ou conhecida) de maneira divertida e irreverente.

Seriam apresentadas atividades que estimulam não só o aprendizado da língua, mas também a criatividade e a memória. Os alunos poderiam assistir a trechos do show em espanhol e traduzirem tentando deixá-lo tão engraçado quanto o original. Eles poderiam, também, representar suas traduções para o grupo.

Apesar de Chaves e Chapolin serem dois programas de televisão extremamente conhecidos, são poucas as pessoas que realmente conhecem o programa. Alunos poderiam trabalhar com isso, criando uma apresentação sobre o show (podendo, até mesmo, criar um documentário sobre ele). A atividade seria livre, para que o aluno escolha a mídia na qual quer apresentar. Tudo em espanhol, é claro.

Roberto Bolaños é uma pessoa relativamente acessível, então os alunos poderiam ser encorajados a escrever cartas e emails para ele, e até tentar conseguir uma entrevista. O objetivo é ensinar as crianças a língua espanhola e também a mexer em editores de imagem e áudio, a lidarem com a mídia, a despertarem a criatividade e a terem uma visão crítica.

4 comentários:

Pri Zorzi disse...

Ok, esse tem muita cara de trabalho de aula também, hahaha!

Legal essa revisão de Chaves e Chapolin! Me lembra do mexicano que morava com o meu irmão em Santiago dizendo que ficava surpreso de saber que aqui no Brasil a gente gostava de Chaves tanto ou mais do que eles!

E me entristece saber que a maioria das crianças de geração mais nova não vai ter isso na sua vida...

Paloma disse...

Sim, foi feito pra aula de Educomunicação. Eu tenho feito uns textos bem bacanas para as aulas, ai vou publicando aqui sempre que eu posso. Tenho uma matéria que quero colocar aqui e também um texto que escrevi sobre Lazy Town.

:-D

Eu quero mostrar Chaves e Chapolin para a minha sobrinha, quando ela estiver mais cabeça para entender. Como ainda passa na televisão, as crianças ainda podem ter contato com isso.

Pri Zorzi disse...

Eu sei que várias crianças que eu já atendi assistiam e gostavam! E aí eu pensava "ok, o mundo não tá perdido". Mas os horários são bem irregulares, e crianças com TV a cabo dificilmente veriam. Não é como na nossa época, em que TODO MUNDO via.

Essa tua cadeira parece legal :P

Juliano Moreira disse...

E o pior é que os episódios disponíveis em DVD são toscos. Muitos são versões inferiores filmadas a menos tempo daqui (ou seja, eles já estão mais velhos, sem o Ramon, Maria e o Carlos). Além disso tem aquele dublador estranho pro Chaves.

Perde muuuuuuuuuuuito da magia. Até porque nem as risadas monstruosas tem no fundo mais. =/

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...