quarta-feira, 5 de maio de 2010

Carta feita para a aula de História da Comunicação

Este post também é um trabalho para a faculdade. O objetivo era escrever uma carta para um homem que viveu mais de 20 anos longe da sociedade e enviar pelo correio para o endereço do meu professor. Nós tínhamos que deixar ele informado sobre como a tecnologia evoluiu desde a última vez que ele viu a luz do sol (ele estava morando em uma caverna). Novamente, fui a pessoa que mais se destacou no trabalho pois resolvi não escrever uma carta como se eu fosse uma jornalista e sim uma amiga deste homem. Cheguei a pedir informações pessoais para o professor, para deixar a carta mais verossímil. Eis o resultado:
 
Dia 25 de março de 2010

Querido Fernando.

Seja bem vindo ao século XXI! Fiquei sabendo que você está voltando para casa no próximo mês. Quando foi a última vez que nos encontramos mesmo? Foi no Natal de 1989? Ou na virada do ano? Nossa... Parece que foi ontem, mas ao mesmo tempo parece que foi há séculos. E tanta coisa mudou nesses 20 anos que você passou estudando sobre a importância da comunicação, nas cavernas da Nova Zelândia.

(Por sinal, espero que possamos trocar algumas idéias sobre suas descobertas, afinal de contas meu trabalho de doutorado também trata sobre comunicação pré-histórica)

Em primeiro lugar, as coisas estão muito bem, obrigada. Me formei em jornalismo e estou trabalhando para a revista SET, escrevendo uma coluna sobre cinema independente. Antônio e eu estamos morando juntos há cinco anos e estamos pensando em ir morar na Inglaterra, pois recebi um convite para escrever para o site da BBC.
 

O Antônio está mandando um abraço! Em pensar que na última vez que nós três estivemos juntos não passávamos de três piás, jogando bola e assistindo Thundercats.

Em primeiro lugar, não aconselho que você saia por ai achando que a única maneira de entrar em contato com alguém é via correio e que o presidente ainda é o Collor. Por isso, ai vai algumas novidades sobre o mundo no qual vivemos hoje.

Para começar, ninguém mais se veste assim:
 

Em algum momento da história as pessoas notaram que se vestir assim era feio e começaram a se vestir de maneira “normal”. Menos a Madonna...
 

Ninguém mais brinca com pogobol, compra vinil ou escuta os Menudos. E a TV Manchete nem existe mais. Estamos em 2010. Nosso presidente é o Luiz Inácio da Silva, o Lula. Isso mesmo, aquele que perdeu para o Collor (de quem eu nem me atrevo a falar). O filme que ganhou o Oscar esse ano foi Guerra ao Terror, sobre mais uma guerra estúpida – nada muito diferente do que você já viu.
 

Os discos de vinil foram substituídos de vez por algo chamado Compact Disc, ou CD. Isso possibilitou várias outras mudanças, como jogos de videogame mais avançados (você vai ouvir muito sobre Playstation) e duas novas formas de ver filmes: o DVD e o Blu-ray, que são, basicamente, CDs maiores que contêm filmes.
 

Por falar em filmes, no cinema está cada vez mais comum filmes com tecnologia 3D (três dimensões). A sobreposição de imagens faz com que o filme “salte” da tela. É uma ótima experiência que tem muito a melhorar. Quando você vier nos visitar, te levamos para ver.
 
 
Mas acho que a mudança mais radical que nossa sociedade sofreu foi a invenção, em 1989, de uma coisinha chamada “internet”. É difícil explicar o que é internet através de uma carta, mas vou tentar explicar por cima e quando você chegar te mostro melhor.

A palavra “internet” significa “interligação de redes”. É uma interligação de computadores do mundo todo, que possibilita a troca de informações com pessoas que qualquer canto do planeta. A principio, essa tecnologia servia apenas para que cientistas trocassem dados uns com os outros, mas logo se tornou uma forma de espalhar informações mundialmente. Em 1991, já estava disponível para todo o mundo.

O maravilhoso da internet é que todo mundo pode colaborar com informações e estas são praticamente gratuitas. É a ferramenta de comunicação mais democrática já feita. É como se tivéssemos televisão, jornal, rádio e telefone em um só lugar. Imagine o seguinte: antigamente, para entrar em contato com alguém que mora na Inglaterra, você teria que ou gastar muito com uma ligação telefônica ou mandar uma carta que demoraria semanas para chegar. Hoje, você pode entrar em contato com essa pessoa de forma instantânea.

Ao invés de abrir um jornal e ler o que o fulano tem para falar sobre determinado assunto, você pode acessar a rede e ter o ponto de vista de milhões de pessoas sobre isso.
 

A internet é ilimitada. Se você já estivesse conectado, eu não precisaria estar mandando esta carta e esperando que daqui a duas ou três semanas ela chegue até você, para só então você responder e depois de mais duas ou três semanas ter uma resposta. Eu poderia abrir meu laptop (meu computador portátil) e mandar um email (isso é, correio eletrônico), que você receberia em segundos.

Sei que isso tudo parece ser magia, mas acredite meu amigo, é a mais pura realidade. O mundo ainda não é perfeito. Ainda vivemos em uma sociedade doentia e capitalista, onde somos meros robôs, mas estamos cada vez mais próximos de mudar isso. E a internet será uma grande aliada. Tenho certeza de que você estará voltando a um mundo novo e cheio de possibilidades.

Quando voltar, posso emprestar vários livros sobre o assunto e te deixar cara a cara com essa bruxaria do século XXI.

Espero que tenha uma boa viagem de volta.

Um grande abraço da sua amiga,

Paloma Rodrigues

3 comentários:

Paloma disse...

Sabia que tu ia dizer isso!

E nem reparou na minha super montagem na capa da SET! haha

Leticia disse...

Adorei!!! Imagina tu trabalhando na BBC, que genial!! Eu ia ter onde ficar nas férias mhuahuahuahua!!!!

Que genial. Espero que tudo isso aconteça pra ti. E espero casar com alguém que possa me dar visto permanente europeu :D

Pri Zorzi disse...

Putz, nem vi que era montagem! Bom, sinal que ficou boa.

Leli, tu pode casar comigo, eu tenho cidadania européia! Hahaha!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...